Biblioteca Camilo Castelo Branco VR

  1. Mensagem da UNESCO para o Dia Internacional da Biodiversidade

    “Nós não herdámos a Terra dos nossos antepassados; pedimo-la emprestada aos nossos filhos”.- Provérbio indígena norte-americano












    A biodiversidade é um bem comum, um legado inestimável formado ao longo de milhões de anos e um património para ser transmitido às gerações futuras. A sua definição inclui a variedade excepcional de formas de vida existentes na Terra, assim como os ambientes naturais onde essas formas se desenvolveram – os ecossistemas. A biodiversidade é essencial para a nossa própria existência e oferece todos os recursos da natureza para o nosso desenvolvimento. 

    A biodiversidade, contudo, não é inesgotável. As intervenções humanas – a exploração extensiva dos recursos, os padrões insustentáveis de consumo, a poluição industrial que causa a mudança climática – têm como resultado danos irreparáveis à biodiversidade. 

    Isso foi destacado por especialistas internacionais na Plataforma Intergovernamental sobre Diversidade Biológica e Serviços dos Ecossistemas (Intergovernmental Science-Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services – IPBES), que se reuniu no último mês de março em Medellin, na Colombia. Os relatórios produzidos por esses especialistas confirmaram a rápida deterioração da biodiversidade e destacaram os efeitos diretos dessa deterioração que já são visíveis, tais como a propagação de certas doenças entre os seres humanos. 

    A UNESCO, uma agência parceira da Plataforma IPBES, compromete-se a trabalhar para conter a perda da biodiversidade e para promover o uso sustentável dos ecossistemas. O Programa O Homem e a Biosfera (Man and the Biosphere – MAB), por exemplo, tem como objetivo assegurar o equilíbrio harmónico entre as atividades humanas e o meio ambiente natural. No contexto da Década das Nações Unidas sobre a Diversidade Biológica (2011-2020), a UNESCO também contribui de forma ativa para a implementação da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), aprovada há 25 anos por 196 Estados-partes, e que tem como objetivo a conservação da diversidade biológica e a partilha sustentável e equitativa dos recursos. Nos sítios da sua Lista do Património Mundial, na sua Rede Mundial de Reservas da Biosfera e nos seus Geoparques Globais, a nossa Organização desenvolve soluções inovadoras com todos os seus parceiros, ao abordar de forma complementar as questões da biodiversidade e da diversidade cultural. 

    Para além da urgente necessidade de preservar a biodiversidade e restaurar os ecossistemas degradados, esses programas ajudam a transformar atitudes e a desenvolver práticas económicas e sociais. Isso insere-se na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, em especial no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 15 (ODS 15), dedicado à qualidade da vida na Terra, e exige a compartilha de valores como a cooperação, o respeito pela diversidade e a solidariedade entre as gerações, valores esses adquiridos e cultivados por meio da educação para o desenvolvimento sustentável (EDS). 

    Este Dia Internacional tem como objetivo aumentar a consciencialização sobre essas questões que são fundamentais para a nossa vida, hoje e no futuro. Neste Dia, um lindo provérbio indígena norte-americano é particularmente adequado: “Nós não herdamos a Terra dos nossos ancestrais; nós a tomamos emprestada dos nossos filhos”.

    Mensagem de Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional da Diversidade Biológica, 22 de maio de 2018 

  2. Biodiversidade - kit de aprendizagem


    "Go take your lessons in nature, that is where our future is."
     Leonardo da Vinci



     https://drive.google.com/open?id=1J9JmnwE4l1knTf_gxEP0_xMlOy-e53vk




    Este kit educativo é o resultado do trabalho conjunto de especialistas de várias disciplinas, incluindo educação, pedagogia, ciências biológicas, ecologia, línguas e diversidade cultural. O projeto favorece a interdisciplinaridade porque, por definição, a biodiversidade - tema central deste manual - atravessa todos os setores da sociedade. A diversidade biológica engloba o passado - a evolução da vida na Terra -, o presente - a contribuição da biodiversidade para o bem-estar humano -, e o futuro - a necessidade crucial de preservar a biodiversidade à medida que sofre erosão e perdas a nível local, regional e global.


  3. Aprender a proteger a biodiversidade





    Este vídeo mostra como abordar a biodiversidade através da Educação para o Desenvolvimento Sustentável e mobilizar professores, estudantes, pesquisadores e tomadores de decisão para a reflexão sobre as questões da biodiversidade e a sua interdependência com questões globais de desenvolvimento sustentável.

    Mostra como a educação nos pode ajudar a entender melhor o valor da biodiversidade e as causas da perda da biodiversidade. Também dá exemplos de como educadores e estudantes podem ser pró-ativos e ajudar a conservar a biodiversidade.

    O objetivo é aumentar a consciencialização pública sobre questões de biodiversidade, inspirando as partes interessadas, incluindo jovens, professores e profissionais dos media.


  4. Dia Internacional da Biodiversidade

    22 de maio






    A biodiversidade é o tecido vivo do nosso planeta. Ela sustenta o bem-estar humano no presente e no futuro, e o seu rápido declínio ameaça a natureza e as pessoas. De acordo com relatórios divulgados em 2018 pela Plataforma Intergovernamental de Políticas Científicas sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistémicos (IPBES), os principais impulsionadores globais da perda de biodiversidade são a mudança climática, espécies invasoras, superexploração de recursos naturais, poluição e urbanização.

    Para interromper ou reverter esse declínio, é vital transformar os papéis, ações e relacionamentos das pessoas com a biodiversidade. Existem muitas soluções para parar e reverter o declínio da biodiversidade. As diversas redes, programas e parceiros da UNESCO observaram sementes positivas e inspiradoras de mudança em todo o mundo. A UNESCO também acompanha os Estados Membros e os seus povos nos seus esforços para deter a perda de biodiversidade, compreendendo, valorizando, salvaguardando e usando a biodiversidade de forma sustentável.

    É hora de agir pela biodiversidade! As Nações Unidas proclamaram o dia 22 de maio o Dia Internacional da Diversidade Biológica (BID) para aumentar a compreensão e a consciencialização sobre as questões da biodiversidade.


    Mensagem do Secretário-Geral da ONU, António Guterres 

    Este Dia Internacional serve para recordar a importância da biodiversidade do planeta e pretende chamar a atenção para as perdas devastadoras que estamos a sofrer numa altura em que espécies insubstituíveis se extinguem a um ritmo sem precedentes. 

    Ao procurarmos superar este problema, devemos tomar a agricultura como ponto de partida. As culturas e aves domésticas dos nossos dias são um reflexo da gestão humana. E as notícias não são boas. Cerca de um quinto das raças de animais domésticos estão em risco de extinção, perdendo-se, em média, uma raça por mês. Das 7 000 espécies de plantas domesticadas ao longo dos 10 000 anos de história da agricultura, apenas 30 são utilizadas para produzir a grande maioria dos alimentos que consumimos diariamente. Depender de um número tão reduzido de espécies para garantir o nosso sustento é uma estratégia que está condenada ao fracasso.

    As alterações climáticas estão a complicar a situação. As flutuações da temperatura e da precipitação estão a causar danos enormes nas culturas. Os peritos dizem que estes factores poderão custar à África Austral até 30% das suas colheitas de milho até 2030. A diversidade das culturas e dos animais de pecuária são o nosso melhor seguro contra as alterações climáticas. 

    A produção animal é em si mesma um factor determinante das alterações climáticas, pois é responsável por mais emissões de gases com efeito de estufa do que os transportes. Este setor representa uma ameaça direta para a biodiversidade; aproximadamente um quinto da biomassa animal terrestre destina-se aos animais de pecuária – terras que em tempos foram o habitat de fauna e flora selvagens e que poderiam ajudar a atenuar consideravelmente os impactos das alterações climáticas.

    Num mundo em que se prevê que a população aumente 50% até ao ano 2050, estas tendências poderão muito bem significar fome e malnutrição generalizadas, criando condições favoráveis ao alastramento da pobreza, da doença e mesmo dos conflitos. 

    A preservação da biodiversidade preciosa do nosso planeta é essencial para o desenvolvimento e a segurança. Não são apenas os animais e culturas produzidos nas zonas agrícolas, mas também os muitos milhares de plantas e animais que existem nas florestas, nos oceanos e noutros ecossistemas que necessitam de ser protegidos a fim de preservar o equilíbrio ambiental fundamental do planeta.

    Temos de congregar esforços no sentido de encontrar soluções, como, por exemplo, o Plano de Acção Mundial sobre os Recursos Genéticos Animais, adoptado em setembro passado numa reunião apoiada pelas Nações Unidas. As Partes na Convenção sobre Diversidade Biológica vão reunir-se em maio para trabalhar com todos os outros parceiros, redobrando esforços com vista a reduzir a perda de biodiversidade e procurando, simultaneamente, alcançar as metas mundiais fixadas para 2010.

    Todos continuamos a ter interesse em promover o bom funcionamento de ecossistemas caracterizados pela diversidade de espécies e recursos genéticos, com vista a garantir a sustentação da vida em toda a parte. É demasiado tarde para anular os danos causados ao planeta, mas nunca é demasiado cedo para começar a preservar tudo o que nos resta. Que este Dia Internacional da Diversidade Biológica nos una nesta missão.


  5. António Arnaut (1936-2018)


    In Menoriam

    Títulos disponíveis na biblioteca





Novidades das Bibliotecas

  • INSCREVE-TE!Tânia Duarte, vencedora do Prémio Nacional de Animação 2006, estará na nossa escola, na quarta-feira, de manhã, no âmbito da Semana da Leitura da RBVR,...

  • Parabéns à Beatriz Peixoto Sá do 7º B e ao Gustavo Filipe Simões Cardoso do 8º B

  • Semana da Leitura . 5 de fevereiro10:00 | Espaço Zona livre3º Ciclo

  • Nos próximos dias 5 e 6 de fevereiro

  • Liberte o leitor que há em si! Rede de Bibliotecas de Vila Real celebra Semana da Leitura de 5 a 9 de março “A linguagem já abriu...

  •  Pedro Miranda e David RamosSessão de poesia – Deus como interrogação na poesia portuguesaDavid Ramosé um jovem vilarealense, com uma já significativa intervenção cultural no...

  • Alunos selecionados nas provas realizadas na escola:3º Ciclo:- Catarina Coutinho Alves Afonso - Alice Margarida Roçadas A. S. Meneses (Suplente)Secundário:- Maria Índia Azevedo Marques - Ana Catarina Moura Matoso...

  • SEMANA DA LEITURA 5 a 9 de março de 2018O tema aglutinador selecionado pela Rede de Bibliotecas Escolares de Vila Real / RBVR para a Semana...